Notícias

Serra é a melhor cidade do Espírito Santo para investir

Serra é a melhor cidade do Espírito Santo para investir


A pesquisa IPC Maps também destacou o desempenho dos 50 maiores municípios brasileiros com potencial de consumo, entre eles a Serra

A Serra é a melhor cidade do Espírito Santo para empresas investirem. O município tem o maior potencial de consumo da população, segundo a pesquisa IPC Maps 2020, o que garantiu à cidade o primeiro lugar no ranking dos 78 municípios capixabas, com um mercado consumidor de R$ 14,3 bilhões.

Alguns dos principais gastos dos consumidores neste ano estão nos setores de habitação (incluindo aluguéis, impostos, luz, água e gás); serviços em geral, reformas, seguros, entre outros; alimentação (no domicílio e fora); transportes e veículo próprio.

A pesquisa é feita em todos os 5.570 municípios brasileiros, com base nas informações demográficas e de potencial de consumo dos moradores. O perfil de cada município é detalhado com dados demográficos, número de empresas e potencial de consumo de 22 categorias segmentadas por classe socioeconômica.

O prefeito da Serra, Audifax Barcelos, destaca que, em meio ao cenário turbulento causado pelo novo coronavírus, a conquista do primeiro lugar pela Serra reforça o bom trabalho da gestão municipal em garantir melhores condições de vida para os moradores, o que resulta no grande potencial de consumo. “A pesquisa também contribui para traçar um horizonte de oportunidades para os investidores. Os novos negócios geram emprego e renda para a população”, disse.

Segundo o prefeito, o município cresce ano após ano na pesquisa IPC Maps. De 2018 para 2019, passou de 3º para 2º melhor lugar para se investir no ranking estadual. Neste na, o resultado foi o 1º lugar. No ranking Brasil, a Serra também aparece entre as 50 maiores cidades, na 40ª posição.

“Nossa intenção, a cada dia, é promover a melhoria do ambiente de negócios do município e facilitar as atividades comerciais. Oferecemos de incentivos fiscais a orientação, além de capacitação e crédito aos interessados em instalar ou ampliar negócios no município”, disse Audifax.

O prefeito acredita que atrair novos negócios fomenta a geração de renda para o trabalhador, o que impulsiona o consumo. “A Serra está sendo cada vez mais procurada pelas famílias, que querem se instalar na cidade. O mercado consumidor é crescente”, disse.

Destaque

O município também está em destaque no nível Brasil. A pesquisa IPC Maps destacou o desempenho dos 50 maiores municípios brasileiros, entre eles a Serra, que ficou em 40º lugar. 

No ranking dos municípios, os principais mercados permanecem sendo, em ordem, São Paulo e Rio de Janeiro, seguido por Brasília, na 3ª posição. O Espírito Santo também é representando pelo município de Vila Velha na 45ª posição e Vitória na 50ª.

Todos esses 50 municípios juntos equivalem a 38,7%, ou R$ 1,759 trilhão, de tudo o que é consumido no território nacional.

Para José Eduardo Azevedo, secretário de Desenvolvimento Econômico da Serra, o indicador sinaliza que temos um ambiente favorável para atrair investimentos e negócios, especialmente, nos itens relacionados ao lar, construção, alimentação, saúde e beleza.

O secretário, também, pontuou que houve evolução do município na pesquisa: “A Serra conquistou o primeiro lugar na pesquisa neste ano, o que evidencia um sinal de dinamismo na economia da cidade, mesmo em período de pandemia do novo coronavírus, tendo impacto positivo na geração de emprego e novas oportunidades”.

O Espírito Santo manteve a 12ª posição (R$ 94,032 bi) no ranking dos estados brasileiros com melhores condições para receber investimento. Em primeiro lugar encontra-se São Paulo, com potencial de consumo de R$ 1.179,734 bilhão.

Hábitos

A pesquisa IPC Maps detalha, ainda, em que os consumidores gastam sua renda. Os itens básicos aparecem com grande vantagem sobre os demais, conforme a seguir: 25,6% dos desembolsos destinam-se à habitação (incluindo aluguéis, impostos, luz, água e gás); 18,1% a outras despesas (serviços em geral, reformas, seguros, etc); 14,1% vão para alimentação (no domicílio e fora); 13,1% a transportes e veículo próprio; 6,6% a medicamentos e saúd.

Outros 3,7% são consumidos em materiais de construção; 3,4% em educação; 3,4% em vestuário e calçados; 3,3% em recreação, cultura e viagens; 3,3% em higiene pessoal; 1,5% em eletroeletrônicos; 1,5% em móveis e artigos do lar; 1,1% em bebidas; 0,5% para artigos de limpeza; 0,4% para fumo; e finalmente, 0,2% referem-se a joias, bijuterias e armarinhos.

Os cinco municípios com maior potencial de consumo no Espírito Santo:

1º Serra: R$ 14, 301 bilhões

2º Vila Velha: R$ 13,577 bilhões

3º Vitória: R$ 12,080 bilhões

4º Cariacica: R$ 8,124 bilhões

5º Cachoeiro de Itapemirim: R$ 5,401 bilhões

De: 07/07/2020
Por: Prefeitura da Serra

LEIA +


Filtrar por data
até Filtrar por assunto

PUBLICIDADE