Notícias

Empresários elogiam ação da prefeitura para organizar comércio

Empresários elogiam ação da prefeitura para organizar comércio

Além de não ter autorização para atuar no local, os ambulantes chegaram ao ponto de afixar as barracas nas ruas, impossibilitando a circulação de pessoas nas calçadas e ocupando vagas destinadas a estacionamento


“A cidade merece um território comercial limpo, bonito e organizado para que as pessoas utilizem o comércio. A ação da Prefeitura da Serra é legítima e todo o empresariado e as pessoas entendem que deve ser mantida”. Com estas palavras o diretor da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) da Serra, Samuel Valle, anunciou “apoio total” às recentes medidas da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) para retirar os ambulantes que atuam na região de Laranjeiras.

Samuel explicou que atitudes como esta organizam a cidade, valorizando a geração de empregos e respeitando o cidadão que transita pela avenida. “Apoio as ações da prefeitura, que está organizando a cidade, valorizando o emprego e respeitando o cidadão”, acrescentou, lembrando que um grupo de empresários se reuniu com o prefeito Audifax Barcelos para pedir a ação da prefeitura no local.

Em abril, a prefeitura já havia notificado os ambulantes, que atuavam de maneira irregular, para que se retirassem do local. Além de não ter autorização para atuar no local, os ambulantes chegaram ao ponto de afixar as barracas nas ruas, impossibilitando a circulação de pessoas nas calçadas e ocupando vagas destinadas a estacionamento. 

O empresário Luiz Carlos Maioli, que há 23 anos tem uma papelaria na região de Laranjeiras, disse que há muito tempo esperava por uma ação como esta. “A situação estava fora do controle, sem condições até para andar na calçada, sem local para estacionar”, disse Maioli, que afirma que entende que há um problema social, mas explicou que não é possível que um grupo prejudique todo um comércio organizado.

O presidente da Associação dos Empresários da Serra (Ases), Remegildo Gava, também vê com preocupação o lado social, mas alega que o comércio ambulante ilegal pode trazer prejuízos graves tanto para o comerciante quanto para o consumidor, já que não tem qualquer regulamentação. “Estes materiais vendidos ilegalmente podem prejudicar a saúde do cidadão e este tipo de comércio prejudica quem paga imposto, atrapalha quem usa a calçada e agride a mobilidade”, afirmou.

O secretário de Desenvolvimento Urbano da Serra, Tarcísio Bahia, disse que a prefeitura também vê com preocupação a questão social do País e, para discutir o assunto, se reuniu nesta quarta-feira (31) com representantes dos camelôs, na busca de uma solução para o problema, mantendo sempre a disposição de garantir o ordenamento do espaço urbano.

FOTO: Jansen Lube

De: 01/06/2017
Por: Iá Comunicação

LEIA +


Filtrar por data
até Filtrar por assunto

PUBLICIDADE